Empresas brasileiras aceleram uso de SaaS para cortar gastos com software

Segundo Gartner, 77% das companhias vão aumentar investimentos nessa área. Brasil está entre os que mais avançam na migração.

A adoção de software como serviço (SaaS) tem crescido dramaticamente pelas empresas. O uso de soluções empresariais varia de acordo com o mercado. Uma pesquisa que acaba de ser divulgada pelo Gartner mostrou que 71% da organizações vem utilizando esse modelo por menos de três anos.

O relatório foi realizado entre junho e julho de 2012 com 556 dez dez países. Foram entrevistadas organizações dos Estados Unidos, América do Sul, Europa e Ásia/Pacífico) para entender a tendência do movimento para SaaS. O estudo analisou modelos de licenciamento de software tradicionais e ganhos com redução de gastos com software.

Os resultados indicam que o interesse por SaaS continua forte e com rápidas adoções. O Brasil teve o maior número de novos usuários. Entre as empresas entrevistadas, 27% reportaram que adotam o modelo por menos de um ano.

As implementações de novas soluções ou substituição das existentes é agora o principal motor para o uso de SaaS, de acordo com a pesquisa. No mundo todo, estão acontecendo migrações de aplicações antigas que rodam dentro de casa e principalmente adoção do modelo para as novas implantações.
Na Ásia/Pacífico, por exemplo, metade das empresas disse que o maior estímulo para SaaS foram as novas implantações. Já nos EUA e Europa, as entrevistadas revelaram que abraçaram o modelo para substituir soluções existentes.

Para Charles Eschinger, vice-presidente de pesquisa do Gartner, não é surpresa o uso de SaaS na Ásia/Pacífico para a novas aplicações. Ele observa que há muitos negócios novos surgindo lá com pouco histórico de legado. No entanto, nos EUA e Europa, Oriente Médio e África (EMEA), os sistemas corporativos estão mais maduros e SaaS tem sido aplicado mais para substituição das soluções antigas.

Aumento dos investimentos
Segundo o Gartner, o investimentos em SaaS devem aumentar em todas as regiões. De acordo com o relatório, 77% das empresas entrevistadas disseram que vão ampliar os gastos com projetos nessa área, enquanto 17% planejam manter os investimentos atuais com o modelo.

Mais de 80% das empresas entrevistados no Brasil e na Ásia/Pacífico planejam aumentar os investimentos com aplicações SaaS nos próximos dois anos. Os EUA e países europeus não ficam muito atrás. As companhaias norte-americanas disseram que os gastos nessa área crescerão 73%. Entre as europeias, 71% têm intenção de ampliar as contratações de SaaS.

Eschinger afirma que o modelo on-demand de software vem sendo adotado há mais de uma década, mas que sua adoção ganhou corpo mesmo nos últimos cinco anos.

"As preocupações iniciais com segurança, tempo de resposta e disponibilidade de serviço diminuíram", constata o analista do Gartner. Ele observa que os prestadores de serviços adquiriram maturidade e que o modelo de SaaS se fortaleceu com a poularização da computação na nuvem.
Entre as aplicações de SaaS mais usadas estão os sistemas de gestão de relacionamento com clientes (CRM), Enterprise Content Management (ECM) e controle da cadeia de suprimentos (SCM). Essas aplicações antigas que rodam dentro de casa estão migrando para a nuvem.

"A decisão de implantar aplicativos corporativos baseados em SaaS depende muito da criticidade do negócio, bem como a geografia, agilidade das operaçõesos negócios e arquitetura da TI", destaca Eschinger.
Ainda assim, o analista do Gartner afirma que poucas organizações vão migrar todas as aplicações de software para SaaS. Haverá uma mistura de SaaS com aplicações tradicionais, com funcionamento integrado.

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/especiais/2012/11/29/empresas-aceleram-uso-de-saas-para-cortar-gastos-com-software/
Saiba como adquirir nossos sistemas
Espaço exclusivo para lcientes

“Com o Uaisoft® temos um nível de confiabilidade maior. Antes de usá-lo, cada setor possuía um programa e havia um conflito muito grande de informações, além de muito retrabalho.

P.H.Transportes e Construções Ltda

Mais cases...